O avanço da internet e da globalização levou as pessoas a mudar a forma como elas lidam com a disponibilização de suas informações pessoais. A proteção de dados se tornou um assunto obrigatório e uma real necessidade para manter a confiança do usuário.

Durante décadas, a divulgação de dados pessoais cresceu numa velocidade gigantesca, principalmente com o preenchimento de formulários na web, de pesquisas de satisfação e, principalmente, através do uso das redes sociais e das compras online.

Assim sendo, essa disponibilização de informações, através da evolução da tecnologia, começou a fazer com que as pessoas ficassem mais atentas ao uso dos seus dados, levando à criação da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Essa nova lei foi sancionada em setembro de 2020 e as empresas começaram a pensar em estratégias específicas para se adequar às novas exigências. Pensando nisso, elaboramos este artigo para abordar os principais caminhos para uma proteção eficaz.

Portanto, confira como a LGPD impacta os seus negócios e quais são os caminhos necessários para se adaptar a essa nova lei, visando a proteção de dados dos clientes e, consequentemente, a consolidação da satisfação deles.

Comunicação digital

As informações das pessoas, antigamente, ficavam muito vulneráveis na internet, correndo o risco de possíveis vazamentos. A LGPD foi criada justamente para devolver a propriedade sobre essas informações e as empresas precisam se adaptar a esta realidade.

Se antes as organizações poderiam utilizar os dados coletados dos clientes através de pesquisas de satisfação, por exemplo, da maneira como bem entendessem, agora se faz urgente uma transparência total no uso dessas informações.

Assim sendo, investir na comunicação digital de seus negócios, comprando mídias capazes de coletar e utilizar os dados dos clientes de maneira clara e confiável, é o caminho para se estabelecer esse vínculo de confiança e, de quebra, impulsionar o seu negócio.

Impacto na análise dos dados

A LGPD garante aos usuários a certeza de que, em possíveis casos de violação ou exposição de seus dados, a empresa que está de posse deles deverá notificá-los sobre o acontecido dentro de até 72 horas. Caso contrário, a organização será multada.

Desse modo, para que o seu negócio esteja de acordo com a lei, essas informações devem ser coletadas de maneira estratégica e analisadas de modo transparente, sempre justificando ao cliente para qual fim elas estarão sendo utilizadas.

Relação entre consumidores e comércio

As abordagens realizadas pelos e-commerces em relação aos dados dos consumidores sofreram uma grande mudança com a LGPD. Se antes era aplicado o consentimento implícito em relação às informações, agora esse procedimento não será mais utilizado.

Dessa maneira, as estratégias de marketing das empresas deverão buscar métodos alternativos para se adaptar às normas da lei e, com isso, estabelecer um novo método de abordagem e interação com os consumidores, sem que eles se sintam em risco.

Novas ferramentas

Para se adequar corretamente à LGPD, as empresas estão buscando desenvolver ferramentas de transparência e de controle de informações que garantam toda a segurança para o cliente. No Brasil, esse movimento ainda está em ascensão, portanto, é necessário estudar e buscar as melhores maneiras de aplicar essas novas tecnologias nos negócios.

Evolução profissional

Uma função da qual as empresas não poderão abrir mão é a de buscar a evolução profissional de seus contratados. A LGPD torna necessária a criação de novas políticas e diretrizes para lidar com os dados dos clientes, sem ter risco de possíveis violações.

Assim sendo, a médio prazo, novas especializações devem surgir englobando as informações da LGPD, o que exigirá dos profissionais um meio de se adaptar rapidamente a essa nova realidade.

Gestão de dados

Investir em uma tecnologia moderna de gestão de dados para se adequar às novas diretrizes impostas pela LGPD é o caminho certo para evitar um desperdício de gastos e, consequentemente, de possíveis multas e penalidades.

Estudar o movimento do mercado e começar a estruturar possíveis investimentos futuros pode ser a saída, pelo menos enquanto as novas tecnologias não chegam por aqui. O importante é que tudo esteja de acordo com a LGPD.

Investir na contratação de profissionais cada vez mais especializados em gestão de informações, assim como em ferramentas de processamento e de segurança dos dados, será um caminho natural para impulsionar o seu negócio nesta nova mudança.